Ansiedade

O sentimento de ansiedade é comum e é experimentado por todos em diversos momentos de nosso cotidiano (entrevistas, avaliações, apresentações em público, encontros amorosos), estando este relacionado a outras emoções como o medo, a apreensão, a preocupação e o nervosismo. Entretanto, algumas pessoas vivenciam esse sentimento de forma mais intensa e com maior frequência, podendo se tratar de um quadro patológico. 

Dessa forma, é importante saber identificar quando esse sentimento está dentro do normal ou quando ele está ultrapassando os limites, encaminhando-se para um caso clínico mais sério. Os ataques de pânico estão associados a esse transtorno.

Características da ansiedade patológica

Os sintomas dos transtornos de ansiedade devem preocupar quando surgirem em idades inapropriadas ou quando esse sentimento estiver fora das proporções esperadas para determinada situação, dificultando a habilidade de um indivíduo funcionar normalmente. Alguns dos sintomas abaixo, quando persistentes, podem estar relacionados a esses transtornos:

  • Medos irracionais
  • Inquietação constante
  • Pensamentos obsessivos e perfeccionismo 
  • Apetite desregulado
  • Enxergar perigo em tudo
  • Tensão muscular
  • Insônia
  • Sinais físicos (tremores, suor excessivo, falta de ar, mãos frias e suadas, calafrios, sensação de engasgo, entre outros)

É comum que ansiedade e depressão andem juntas em algumas situações, sendo assim, as características acima podem aparecer em conjunto com sintomas depressivos.

Tipos de ansiedade

Existem diferentes tipos de ansiedade, vejamos mais sobre alguns deles.

Transtorno de ansiedade generalizada 

Envolve excessivas e persistentes preocupações que interferem com atividades diárias. Essa preocupação constante pode vir acompanhada de sintomas físicos, tais como inquietação, irritação/estresse ou rápido cansaço, dificuldade de concentração, tensão muscular ou dificuldade para dormir. Normalmente as preocupações estão focadas em coisas do cotidiano, tais como responsabilidades no trabalho, saúde da família ou assuntos de menor importância, como algumas tarefas, reparos domésticos ou compromissos.

Ataques de pânico

Durante um ataque de pânico, muitos desses sintomas podem se combinar e ocorrer simultaneamente:

  • Palpitações, batimentos cardíacos acelerados
  • Tremores 
  • Dores no peito e falta de ar
  • Sensação de sufocamento
  • Náusea ou dores abdominais
  • Arrepios e ondas de calor
  • Medo de perder o controle ou de morrer

Fobias específicas 

Uma fobia específica é um medo persistente e excessivo de algum objeto, situação ou atividade que normalmente não é perigosa. Os pacientes sabem que seus medos são exagerados, mas não conseguem superá-los. Esses medos podem causar tanto estresse que algumas pessoas podem tomar atitudes extremas para evitá-los. O medo de voar de avião e o medo do escuro são alguns exemplos.

Agorafobia

Caracterizada pelo medo de estar em situações em que a saída pode ser muito difícil ou embaraçosa, ou a ajuda pode não estar disponível no caso sintomas de pânico se manifestarem. Uma pessoa com essa condição pode sentir esse em uma dessas situações ou mais:

  • No transporte público 
  • Em espaços abertos ou fechados
  • Em uma fila ou em uma multidão
  • Sozinho fora de casa

Em casos mais graves, a pessoa é incapaz de sair de casa.

Transtorno de ansiedade social 

Antigamente chamada de “fobia social”, esse transtorno faz com que pessoas tenham enorme desconforto e sofram de ansiedade quando podem estar sujeitas a situações embaraçosas, humilhantes ou quando correm o risco de serem rejeitadas ou quando estão sendo encaradas. Pessoas com esse transtorno frequentemente têm medo de falar em público, de conhecer pessoas novas ou de comer em público, por exemplo.

Transtorno de ansiedade de separação

Uma pessoa com essa condição é extremamente temerosa ou ansiosa em relação a uma possível separação/perda daqueles às quais ela está ligada. Sintomas físicos frequentemente se desenvolvem ainda na infância – no medo de dormir fora de casa ou sem os pais por perto –, mas podem persistir na vida adulta.

Tratamento para a ansiedade

O primeiro passo é consultar um especialista para garantir que os sintomas não estão relacionados a um problema físico mais grave. Se o transtorno de ansiedade for diagnosticado, um médico e/ou psicólogo pode trabalhar com você para o melhor tratamento, combinando medicação e psicoterapia. 

Há muitas coisas que você pode fazer para lidar com os sintomas da ansiedade e tornar o tratamento mais eficiente. Técnicas para controlar o estresse, meditação e terapias em grupo (presenciais ou online) podem ser algumas delas

Você se identificou ao ler sobre as características desses transtornos?  Entre em contato conosco ou agende uma consulta, nossos especialistas podem te ajudar!

Informação salva vidas